Finalmente temos Boas Notícias

Não sei quanto a vocês, mas para mim esta quarentena serve certamente para entender o quanto a liberdade é importante. E o quanto viajar me dá liberdade.

Dia a dia sonho com novas viagens, planejo novas viagens, desenho novas viagens. No papel, no digital. Mas sabia até sábado que tudo era, por enquanto, somente um plano, um sonho, uma vontade sem limites. Porque com a situação do Covid 19, as fronteiras estavam fechadas. Principalmente nos destinos com os quais trabalho, Itália e África do Sul.

Mas Di, disseste até sábado? O que significa isso?

Significa minha gente, que finalmente temos boas notícias. Alguns países Europeus estão a abrir as fronteiras para viajantes que residem na Europa.

Sim, parcialmente boas notícias, porque vocês que como eu vivem fora da Europa, por enquanto só podem continuar sonhando. “POR ENQUANTO” Mas já com uma luz no fim do túnel.

  • Itália vai abrir as fronteiras com a União Europeia, sem necessidade de quarentena, a partir de 3 de Junho
  • França, Suíça, Áustria e Alemanha vão reabrir progressivamente as fronteiras a partir de 16 de Maio e até 15 de Junho, altura em que esperam que seja possível a livre circulação entre os quatro países.
  • O Governo esloveno abriu esta sexta-feira as fronteiras do país aos cidadãos da União Europeia (UE)
  • Letônia, Estônia e Lituânia já haviam concordado em reabrir as fronteiras para os seus cidadãos a partir do dia 15 de maio.

Posso confessar uma coisa? Chorei quando vi as notícias. Finalmente um pouco de alegria e esperança. E chorei mais quando vi as filmagens dos amigos italianos, que finalmente puderam sair à rua depois de tanto sofrimento. Que emoção.

Isto cria uma vontade imensa de ajudar, de trabalhar. Por isso se VOCÊ está na Europa, e pretende viajar para Itália, eu estou aqui. Para uma simples consultoria, ou para o planejamento da sua viagem. Não aquela do turismo de massa, mas aquela que todos nós e o planeta merecemos. Com tempo, saboreando cada momento, absorvendo cada detalhe, cada cheiro, cada sabor. Uma viagem autência e verdadeira, para uma Itália sofrida, autêntica, que precisa de todos nós.

Esta Itália das imagens abaixo, maravilhosa, única, inigualável, que eu amo, e tenho certeza que, com a minha ajuda e paixão, você amará também.

Vamos sonhar juntos?

A Itália Clássica

Já reparou que a grande maioria das pessoas na sua primeira viagem a Itália escolhe 4 cidades? Roma, Florença, Milão e Veneza.

São sem dúvida cidades maravilhosas, lindissimas e imperdíveis. Cada uma do seu jeito, com as suas características, costumes, gastronomia.

Essas 4 cidades fazem parte do que normalmente se chama a Itália Clássica. Pessoalmente gosto de adicionar Bolonha a essas quatro, porque é uma cidade fascinante, com uma infinidade de coisas para ver e fazer.

Qual seria a altura ideal para visitar as clássicas?

Na minha opinião, em Maio, e metade de Setembro a final de Outubro. As temperaturas são gostosas, não demasiadamente quentes nem frias, e a quantidade de turistas é significativamente menor que no Verão.

Qual seria o percurso ideal?

Depende muito do planejamento que você faz, e das cidades de chegada e partida.

Se marcar a viagem voando da forma “Multi City” ou cidades múltiplas (que muitas vezes sai bem mais barato se calcular todos os custos envolvidos, desde o transporte terrestre, estadia, etc), duas opções:

  1. Milão – Veneza – (Bolonha) – Florença – Roma
  2. Roma – Florença – (Bolonha) – Veneza – Milão

Quanto tempo?

Incluindo Bolonha

  1. 14 dias – 4 dias em Roma, 3 dias em Bolonha, 3 dias em Florença, 2 dias em Veneza, 2 dias em Milão

Sem Bolonha

  1. 10 dias – 3 dias em Roma, 3 dias em Florença, 2 dias em Veneza, 2 dias em Milão
  2. 14 dias – 4 dias em Roma, 4 em Florença, 3 em Veneza e 3 em Milão

O que ver?

Depende. Muito. De quê? Do que VOCÊ GOSTA. E e aí que entro eu, desenhando o seu sonho, para que as suas férias sejam as férias dos SEUS sonhos. Vou deixar aqui uma amostra do que pode ser visto, em próximos posts vou detalhar cada cidade no circuito clássico. Valeu?

Roma

Milão

Bolonha

Florença

Veneza

Andiamo in Italia?

Andiamo in Italia significa “Vamos a Itália”?.

E não, não estou a dizer para irmos agora.

Mas porque este post então? Você pergunta.

Porque todos vocês sabem que a Itália é um amor, uma paixão sem explicação.

Desde o primeiro dia em que pisei lá.

E todos sabemos que a Itália está enfrentando um tempo muito difícil com a pandemia COVID 19.

Ontem, eu estava assistindo as pessoas na Itália cantando nas suas varandas, bem como um vídeo da Freccie Tricolore (a equipe de voo acrobático ) e as lágrimas corriam, e ao mesmo tempo arrepiava-me toda.

Não de tristeza, mas de orgulho. Ver o povo italiano unir forças e permanecer forte apesar de estar em quarentena, com as ruas vazias, monumentos fechados, restaurantes fechados.

Apesar dos milhares de positivos ao Covid19 e de mais de 1500 mortes, a Itália encontrou forças para cantar.

Fiquei com tanto orgulho daquela população sofrida, e mais uma vez a saudade bateu, e a vontade de ajudar a recuperar a Itália, assim que pudermos viajar para lá, bateu forte, muito forte.

Claro, outros países, como o meu Portugal, também merecem a minha homenagem e pedido de ajuda, mas hoje, este post é sobre a Itália.

E porque, só porque, a Itália é incrível do sul ao norte, vamos viajar virtualmente pela Italia neste post.

Forza Italia!

E acabo este post, com a minha Roma, la Città Eterna,

E por favor não virem as costas a Itália, vamos sonhar a Itália juntos, novamente, vamos aproveitar este tempo e planejar a sua viagem dos sonhos. Que sim, se irá realizar. Não agora, mas daqui a uns meses.

A sua, e a minha. Porque sim a Itália é um sonho, e porque sim, não me canso dela.

África do Sul, terra de contrastes

A África do Sul é aquele destino para o qual viajo quase mensalmente. Tenho a sorte de viver a 80km da fronteira, e em 3 horas estar na capital de Mpumalanga, para mim uma das regiões mais bonitas.

Quem nunca ouviu falar de Cape Town, Durban, Johannesburg, Kruger Park? Mas se perguntarmos por Nelspruit, Sabie, Graskop, Knysna, George, Outshoorn, Plett Bay, Saint Lucia, Ermelo, Barbeton, o caso muda de figura.

A África do Sul é um país com uma rede de estradas impressionante, paisagem natural diversa e lindíssima, terra do cabo da Boa Esperança, de algumas das melhores reservas naturais do planeta, terra dos Big 5, dos pinguins em Boulders Beach, das Focas na Seal Island, da história do Mandela na Robben Island, das cidadezinhas pitorescas do caminho do ouro.

De Mpumalanga a Kwazulu Natal, de Gauteng ao Free State, de Western Cape a Eastern Cape, a paisagem, cultura, costumes, mudam de forma impressionante.

A África do Sul tem a honra de ter um Reino Floral só para si – Cape Floral Kingdom. Tem o Kruger National Park, tem também o Graskop Gorge, a Panorama Route, o terceiro maior Canyon do mundo, as caves de Sudwala, as Montanhas Drakensberg, o Drakensberg park (património da Unesco), Namaqualand, Wolfberg Arch em Cedarberg, o Big Hole de Kimberley, Riemvasmaak em Northern Cape, Golden Gate Highlands National Park, o encontro dos dois Oceanos em Cape Point, o ponto mais ao Sul de África – Cabo Agulhas, e tanto mais.

Já tinha ouvido falar destes locais? Aposto que não, pelo menos grande parte.

E então, vamos sonhar a África do Sul juntos?

Itália uma paixão, um amor maduro, um destino imperdível

A Itália é tudo isso e muito mais.

É arte, é cultura, é história, é gastronomia, é enologia, é beleza natural e beleza edificada.

É um destino perfeito para viajar solo, para uma mulher viajar sózinha.

A Itália foi desde o primeiro dia uma paixão. Desde o circuito Itália Clássica, à Toscana, Costa Amalfitana, Umbria, Emilia Romagna….

A Itália tem cidades místicas, que se entrenham na pele, que nos fazem sonhar

De Veneza, La Serenissima, a bela, magnífica, destemperada, misteriosa, fascinante, acolhedora, intrigante, sofisticada e simples ao mesmo tempo, romântica, envolvente, Veneza. Definitivamente mulher

Florença, a cidade que cresceu em mim e se tornou um verdadeiro amor. Florença é, para a maioria das pessoas, amor à primeira vista. Para mim, apesar de adorar, não era essa paixão flamejante, era o que as pessoas chamam de amor verdadeiro e maduro. Aquele que cresce devagar e forte a cada vez, faz com que voltemos para mais. Florença da Uffizi, dos cantinhos que ninguém conhece, de Santo Spirito, do Giardino Bardini, do meu Duomo preferido. De Da Vinci, Dante, Lorenzo di Medicci, Michelangelo, Donatello, do renascentismo, dos etruscos….

Milão, tão mal conhecido, que deixa as pessoas de boca aberta quando falamos de tudo o que se pode fazer. Milão da moda, dos artesãos, Milão do terraço do Duomo, Milão dos canais….

Bolonha a magnifica em tons de vermelho e cheia de pórticos, dos mais simples aos mais elaborados. Bolonha da Universidade mais antiga, das Torres inclinadas, dos canais (sim tem!), da Mortadella, do Tortellini in Brodo, do gnocchi fritti, do friggione, do Tagliatelle al ragú, da Piadina. Bolonha da boemia, ahhh Bologna

E Roma…. Roma uma paixão infinita, uma amante sem limites, o conjunto da obra que faz dela o espelho da minha Itália. Roma é tudo e mais, muito mais. A Roma do Trasterevere, do Roscioli, do Sacro e Profano, do Forno, do Suplì, da Carbonara, da Cacio e Pepe, da Amatriciana, do Maritozzo. Roma do ghetto Ebraico, da Gianicolo, da Fontana Acqua Paola, da Fata Morgana, de San Pietro in Vincoli, de Santa Maria Maggiore, de San Paolo Fuori le Mure, da Via Condotti, da Piazza Navona, do Quartiére Coppedè, Roma….

A Itália de Saturnia, Bagni di San Filippo, Petriolo, Lajatico, Carrara, Toiano, Pitigliano; Siena, Borgo al Mozzano, Lago di Garda, lago Orta, Verona, Mantova, Bassano del Grappa, Lucca, Lardarello, Pianosa, Fiesole, Palermo, Salerno, Pompeia….

Vamos sonhar Juntas a Itália?